Skip directly to content

Quimioterapia

Quimioterapia, também conhecida como terapia citotóxica, é o nome que se usa para designar os medicamentos utilizados para tratar o câncer.

Existem medicamentos aplicados via endovenosa, via oral, subcutâneo,intramuscular, intra-arterial e intracavitária.

A quimioterapia, em alguns casos, é utilizada como forma exclusiva de tratamento do câncer no caso de linfomas, leucemias e tumores germinativos. Ela é uma ferramenta muito útil contra o câncer. Para se obter maiores chancesde cura ao doente, deve ser utilizada, na maioria das vezes, associada com cirurgia e radioterapia.

Porque a quimioterapia causa muitos efeitos colaterais?
A quimioterapia causa diversos efeitos no nosso organismo, principalmente pelo fato de agirem de forma inespecífica, ou seja, são medicações feitas para destruir células que estão se dividindo, tanto as do câncer quanto as não-cancerosas. As nossas células que estão em constante divisão são as células do sistema digestivo, cabelo, pêlos entre outras. Por isso que ocorre diarréia, vômitos, mucosite, alopecia (perda de cabelos e pêlos) dentro outros sintomas desagradáveis.

Porque a quimioterapia é feita em ciclos?
Uma diferença entre as células do câncer e as normais nossas é que as células do câncer não tem capacidade de se regenerar como as nossas. Então, em cada sessão ou ciclo, é feita uma dose que seja tóxica para o câncer porém tolerada pelo nosso organismo. Geralmente depois de um período de 2 a 4 semanas, o nosso organismo se regenera e o câncer vai morrendo. A cada sessão o câncer vai diminuindo de tamanho. E os intervalos entre as aplicações permitem que as células “boas”se regenerem.

Porque fazer quimioterapia causa sofrimento?
São dois objetivos: o primeiro é a cura. Quando se detecta um câncer em estágio inicial, a quimioterapia realizada após a ressecção do câncer diminui a chance do câncer voltar, permitindo que o paciente tenha uma vida normal após o tratamento. O segundo é que mesmo em doenças incuráveis, a quimioterapia diminui os sintomas causados pelo câncer e retarda a evolução da doença.

Como fazer o tratamento de forma menos traumática?
Há diferenças de efeitos colaterais entre os pacientes que fazem quimioterapia. Por isso a importância de se avaliar cuidadosamente as funções orgânicas: hepática, cardíaca, renal, hematológica e endócrina. Isso é fundamental para que o tratamento seja tolerado, com mínimos efeitos colaterais. Os efeitos da quimioterapia são todos conhecidos e, na maioria das vezes, podem ser prevenidos ou amenizados graças aos recursos que disponibilizamos atualmente (analgésicos, anti-emético, ansiolíticos, etc.).

O Que é Terapia Alvo Molecular?
Algumas medicações recentemente criadas agem quase que exclusivamente nas células do câncer, não apresentando os clássicos efeitos colaterais da quimioterapia e se mostrando bastante efetivas. Isso se deve ao fato da descoberta de elementos específicos das células cancerígenas. Esses elementos são os responsáveis por promover funções importantes como a formação de vasos sangüíneos, fatores de crescimento, fatores que promovem a resistência das células cancerosas à quimioterapia, entre outras funções relacionadas à proliferação e à resistência do câncer. O entendimento dessas estruturas permitiu a produção de anticorpos contra elas mesmas.

Com isso, a terapia alvo molecular, que está em progressivo desenvolvimento, é uma excelente arma contra o câncer.

Vale ressaltar que a terapia alvo molecular vem acrescentando aotratamento padrão melhores chances de cura aos pacientes, porém não o substitui.

HORMONIOTERAPIA
Alguns tipos de cânceres como o de mama e o de próstata, têm seu crescimento e proliferação dependentes de hormônios que são produzidos normalmente em nosso organismo. Uma forma de combater a doença é bloquear o hormônio ou impedir sua produção. A utilização de medicamentos com esse fim é chamada de Hormonioterapia.